Aprovado primeiro genérico para controle e prevenção de asma, bronquite e enfisema

Aprovado primeiro genérico para controle e prevenção de asma, bronquite e enfisema

Em uma decisão inédita, foi aprovada no país a comercialização do primeiro medicamento genérico voltado ao tratamento de asma brônquica, bronquite crônica e enfisema. Trata-se do sulfato de salbutamol, desenvolvido pela farmacêutica indiana Glenmark.

O remédio de prescrição age “relaxando” as paredes dos brônquios com o auxílio de um spray nasal, permitindo uma respiração mais fácil aos pacientes em até cinco minutos. Já o tempo de ação da substância no organismo pode variar de quatro a seis horas.

Outro ponto positivo é que o produto aprovado no país é uma opção mais acessível do que o medicamento de referência, por isso permitirá maior acesso da população com renda mais baixa.

Incidência de doenças respiratórias
As doenças respiratórias crônicas (DRC) atingem tanto as vias aéreas superiores como as inferiores. A asma, a rinite alérgica e a doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC) são as mais comuns, representando um dos maiores problemas de saúde mundialmente, principalmente entre crianças e idosos.

Segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), as DRC representam cerca de 7% da mortalidade global, o que corresponde a 4,2 milhões de óbitos anuais. No Brasil, em 2011, as DRC foram a terceira causa de óbito no conjunto de doenças crônicas não transmissíveis (DCNT).

“A aprovação regulatória da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) comprova os perfis de eficácia e segurança do remédio e pode ser considerada uma grande vitória para os pacientes, que terão uma nova opção mais acessível de tratamento. Estamos empenhados em fazer com que este fármaco esteja disponível rapidamente. Além disso, estamos investindo cada vez mais para expandir a linha de medicamentos, reforçando a liderança da empresa no desenvolvimento dos primeiros genéricos de moléculas”, revelou o diretor de marketing da Glenmark Farmacêutica, Renato Borges, em entrevista publicada pelo portal do Conselho Regional de Farmácia do Alagoas (CRF-AL).

Orientações aos médicos
O médico responsável deve acompanhar o tratamento da asma de seu paciente e a resposta deve ser monitorada clinicamente por testes de função pulmonar. As reações adversas mais comuns comunicadas foram tremor, cefaleia e taquicardia.

A administração do fármaco durante a gravidez deve ser realizada somente caso o benefício esperado para a mãe for maior do que a possibilidade de risco para o feto. Foram raros os relatos de anomalias congênitas, que incluíram fenda palatina e de efeitos dos membros, em filhos de pacientes tratadas com salbutamol.

Nos casos reportados, algumas das mães tomavam múltiplas medicações durante a gravidez. Devido à inconsistência do padrão de defeitos e ao fato de a taxa observada de anormalidade congênita observada ser de 2% a 3%, não se pôde estabelecer relação causal com o uso de salbutamol.

Não é recomendável seu uso em lactantes, a menos que os benefícios esperados prevaleçam sobre qualquer risco potencial.

*Esse artigo foi revisado pela equipe médica da PEBMED

Autor(a): Úrsula Neves

Fonte: https://pebmed.com.br/

Venda e Aluguel de Produtos Médicos, Hospitalares, Fisioterapêuticos e Odontologia, é na Companhia do Médico, clique aqui e confira nossos produtos e serviços.