Variante delta da Covid-19 é tão contagiosa quanto a varicela, alerta CDC

Variante delta da Covid-19 é tão contagiosa quanto a varicela, alerta CDC

A variante delta do novo coronavírus é tão contagiosa quanto a varicela, tem uma janela de transmissão mais longa do que a cepa original e pode deixar os idosos mais doentes, mesmo que tenham sido totalmente vacinados, de acordo com um documento interno divulgado pelo Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC), órgão de saúde dos Estados Unidos.

A delta já é a forma dominante da Covid-19 em 132 países (incluindo os Estados Unidos), sendo mais transmissível do que o resfriado comum, a gripe espanhola de 1918, a varíola, o ebola, o MERS e a SARS. Apenas o sarampo parece se espalhar mais rapidamente, segundo os pesquisadores.

As autoridades de saúde orientam os médicos a enfatizarem aos seus pacientes os benefícios da vacina contra a Covid-19, acrescentando que ela reduz o risco de doenças graves e óbitos em dez vezes ou mais, além do risco de infecção em três vezes.

Alerta sobre a variante delta
O informe do CDC foi inicialmente divulgado pelo jornal The Washington Post no final do mês passado, sendo baseado em diversos estudos publicados sobre a variante delta.

O documento ainda cita uma combinação de dados obtidos recentemente e que ainda não foram publicados de investigações de surtos e estudos externos que mostram que pessoas vacinadas infectadas com a variante têm cargas virais mensuráveis ​​semelhantes àquelas que não foram vacinadas e infectadas com a variante. Ou seja, indivíduos vacinados e infectados com a delta podem ser capazes de transmitir o vírus tão facilmente quanto aqueles que não foram vacinados.

Outra informação preocupante do relatório do CDC estima que existam 35 mil infecções sintomáticas por semana entre 162 milhões de americanos vacinados.

Vale ressaltar mais uma vez que, apesar da capacidade de transmissão, os vacinados estão mais protegidos contra a doença e, se infectados, têm uma chance bastante reduzida de hospitalização e óbito.

Máscaras de volta nos Estados Unidos
Os cientistas do CDC ficaram tão alarmados com a nova pesquisa que a agência mudou as orientações para as pessoas vacinadas antes mesmo de tornar públicos os novos dados.

A nova recomendação é que os americanos que receberam a vacina contra a Covid-19 voltem a usar máscaras quando estiverem em ambientes fechados, como as escolas.

Em maio, o CDC tinha afirmado que os indivíduos plenamente vacinados não precisavam usar máscaras, nem mesmo em ambientes fechados. Havia uma exceção: no transporte público, todos deveriam manter as máscaras de proteção.

Quase metade (48,8%) da população americana já recebeu duas doses de vacina, de acordo com a plataforma Our World In Data.

O avanço da delta no Brasil
A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) é uma das instituições de saúde que vem alertando as autoridades brasileiras sobre o avanço da variante delta no país.

Mais contagiosa e resistente às vacinas, sobretudo às primeiras doses, a cepa começa a ganhar velocidade por aqui, deixando a gamma, ou P1 para trás.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) também aponta que nas próximas semanas a delta será a variante do novo coronavírus com maior prevalência no Brasil. Até o momento, o estado com maior número de casos registrados da variante é o Rio de Janeiro. Mais da metade dos infectados identificados pela delta no país estão na região fluminense.

*Esse artigo foi revisado pela equipe médica da PEBMED

Autora: Úrsula Neves

Fonte: https://pebmed.com.br/

Venda e Aluguel de Produtos Médicos, Hospitalares, Fisioterapêuticos e Odontologia, é na Companhia do Médico, clique aqui e confira nossos produtos e serviços.